Conto erotico de incesto - comendo a prima

Conto erotico de incesto – comendo a prima

Conto erotico de incesto – comendo a prima. Sou João Carlos, 40 anos, branco, 1,87cm altura e caralho de 22cm. Minha prima Roberta, branca, cabelo claro, 35 anos, solteira, belo corpo e se mostrou uma verdadeira putinha na cama. Acredito que em algum momento de suas conversas com minha prima, minha irmã deve ter contado que tinha relação sexual comigo. Roberta tem sua casa onde mora sozinha e não curte barzinho, baladas, mais sei pela boca de amigos que é bem putinha.

Minha prima me telefonou perguntando se eu podia ir a casa dela trocar uma tomada, disse ser muito antiga e não servia para o telefone. Disse a ela que tinha que ser a noite ou final de semana, era só ela escolher que eu iria sim. Roberta marcou para um sábado na parte da tarde porque a noite teria que fazer rápido, tinha o problema da iluminação também.

Combinado e no sábado a tarde lá estava eu junto com uma rapaz que me ajudava, não o levei com segundas intenções e sim para ele trocar enquanto eu conversava com minha prima. Chegamos a casa de minha prima, ela ate brincou comigo dizendo que não sabia que para trocar uma tomada. Expliquei a ela que ele só trocaria a tomada enquanto eu conversava, afinal já fazia algum tempo que não via e conversar um pouco nos faria bem.

Roberta estava vestindo um shorts de malha de fazer ginástica, top e tênis. Ela disse que tudo bem e levou o rapaz ate a cozinha, mostrou a tomada e retornou para sala para conversar. Minha prima fez um comentário que me deixou a pensar um pouco mais. Disse ter imaginado um, mais em dose dupla ate seria melhor. Demorei alguns segundos ate cair a ficha , quando senti seu perfume e no ar um desejo de foder.

Conto erotico de incesto - comendo a prima

 

Sentei ao lado dela lhe beijando a boca com minhas mãos passeando pelo seu corpo a deixando bem excitada. Roberta me pediu para parar para o rapaz não pensar bobagem. A acalmei dizendo que ele era de minha confiança e se ele conta-se a alguém o que aconteceu ali, estava despedido e isso ele não queria porque precisa do emprego assim como eu dele. Ela já bem mais calma e como disse que dose dupla seria melhor, com certeza começou a fantasiar e desejar nós dois fodendo com ela.

Minha Prima Gostosa era uma tremenda putona

Ele já tinha trocado a tomada fazia bom tempo, mais ficou no canto da porta só escutando nossa conversar, para só depois do sinal verde entrar na sala. Eu sugava a boca de minha prima e deixei ela tirar minha camiseta, passar a mão no meu caralho duro e fiz sinal para meu companheiro entrar na sala. Ela parou de frente para nós dois com seu caralho duro em baixo da roupa. Minha prima olhou arregalando os olhos e disse para nós dois tomar banho que ela nos esperaria prontinha. Conversei muito com ele no banheiro, disse para não contar para ninguém e muito menos depois ficar telefonando ou indo a casa dela.

Ele noivo de casamento marcado, não ia querer perder o emprego e a noiva. Voltamos para sala e minha prima estava ali, completamente nua de banho tomado sentada no sofá. Partimos para cima dela, eu chupando sua buceta e meu companheiro deixando ela chupar seu caralho que devia ter uns 18cm. Minha prima delirava de prazer, dizia palavras que eu não conseguia entender e também nem precisava, eu com minha boca e língua dentro da sua buceta.

Roberta me pediu para sentar que ela queria sentir meu caralho dentro do seu cú. Sentei e lubrifiquei bem seu cuzinho e deixei ela sentar e comandar a metida no seu cú. Senti a cabeça do meu caralho entrar com ela dando um grito, perguntei se queria que eu tira-se e me disse não. Ela subia descia no meu caralho atolado no seu cú, rebolava e não tirava o caralho do meu companheiro de sua boca. Minha prima estava totalmente elétrica, fodia meu caralho e tinha outro caralho na sua boca. Eu a segurava pela cintura ajudando foder meu caralho, não demorou muito para eu gozar gostoso dentro do seu cú e meu companheiro gozar na sua boca.

Descansamos um pouco e pedi para meu companheiro que trabalha para mim, tomar banho e ir embora podendo levar o carro e na segunda feira ele o levaria para o trabalho. Fiquei ali com minha prima conversando e quando ele saiu, fomos tomar banho juntos nos beijando, sugando nossas línguas com a agua caindo sobre nossos corpos. Fomos para o quarto nos deitando em sua cama, começamos a conversar e fui ai que fiquei sabendo, minha irmã realmente tinha contado a ela de nossas transas agora não mais secretas. Roberta gostava mesmo de sexo anal e deitado de lado, coloquei meu caralho na entrada de seu cú e o fodi novamente.

Minha prima gostosa tocava sua buceta com os dedos enquanto eu socava sem dó dentro dela. Ela já estava acostumada com meu caralho , depois de ter metido uma vez , a segunda estava muito mais fácil. Fodi gostoso colocando sua cabeça para o lado e a beijando, alisando seus seios fazendo ela novamente voltar a gritar , xingar e receber todo meu caralho dentro dela. Ela gritou que estava gozando e para gozar junto com ela, aumentei meus movimentos e jorrei muita porra novamente dentro de sua bundinha. Não tomamos banho e ficamos na cama nos curtindo, beijando e acariciando. Meu caralho ficou duro novamente e agora foi a vez de sua buceta recebe-lo dentro dela. Pedi para ela ficar de quatro na cama e meti meu caralho sem pressa em sua buceta.

Roberta estava toda melado do seus gozos e não tive nenhuma dificuldade na penetração. Minha prima pedia mais e para eu enfiar uns dedos junto com meu caralho dentro de sua buceta. Achei estranho mais o fiz, ai ela gritava muito mais dizendo que era disso que ela gostava. queria ser arrombada mesmo com tudo que ela tinha direito. Não demorei a gozar com seus gritos, gemidos e fantasias. Mais Roberta queria muito mais.

Com ela ainda de quatro na cama, coloquei dois dedos dentro de sua buceta e ela pedia mais, meti três, quatro e cinco dedos e ela pedindo mais. Foi ai que forcei minha mão na entrada de sua buceta, ela começou a gritar que era assim que queria. Custei a crer, mais fui metendo minha mão com ela rebolando, gritando e pedindo para meter mais. Quando dei por mim, minha mão estava ate o pulso dentro de sua buceta. Ela rebolava dizendo que era assim que ela gosta. Fiquei surpreso com a tara e a flexibilidade da buceta de minha prima gostosa, com certeza ela aguentava o cacete de um cavalo dentro dela sorrindo. Ela gozou gostoso e eu também me masturbando. ela estava toda arreganhada quando tirei minha mão de dentro de sua buceta, ate seu cú não fechava direito. Nossa, foi uma trepada que valeu a pena para nós dois e vamos repeti-la mais vezes com toda certeza.