Contos com fotos – Sexo com a ruivinha safada parte 6

Contos com fotos – Sexo com a ruivinha safada parte 6. Última parte da história de sexo da gostosa ruivinha fazendo putaria. Chegou ate aqui se prepare para a parte final.

Merenda e Negrinho foram embora, André me ajudou a me levantar. Ergui a minha calça e calcinha. A parte da frente da minha blusinha, o meu rosto e minhas mãozinhas branquinhas estavam sujos de terra, o meu cabelo estava desalinhado e eu não conseguia ficar de pé sozinha, sem me apoiar no André, que dizia: “Fica calma, ‘tá?

Vou olhar nos outros celeiros… deve ter alguma porca mansinha em algum deles… aí os caras esquecem de você.” Eu não tinha ânimo nem voz para responder e fomos saindo do celeiro, deixando para trás a corda ainda amarrada na cerca do chiqueiro, a página rasgada da revista do Negrinho caída no chão, suja da porra do Merenda. O caminho de volta levou uma eternidade porque eu andava muito devagar.

Se o André me disse algo no caminho, se se desculpou, se justificou o que os amigos fizeram… não sei. Queria apenas chegar em casa, tomar um banho e torcer para que o André encontrasse logo uma porquinha mansinha para os seus amigos brincarem, porque eu não queria passar por aquilo de novo.

Nós chegamos em casa quase na hora do lanche da tarde.

Sentir o cheirinho gostoso do bolo de fubá que a mamãe preparava na cozinha, no primeiro andar do casarão, e ouvir a voz do papai ao telefone, na sala, quase me fizeram sentir melhor.

Entrei no casarão sem que me vissem e fui direto para o meu quarto, pegar outras roupas, e dali fui para o banho mais demorado da minha vida até então.

O André ficou na varanda, mas quando saí do banho, com roupa trocada e me sentindo um pouco melhor, ele não estava mais lá. A mamãe disse que ele havia comido um pedaço do bolo e tinha ido jogar bola com os amigos. Eu fui para a cozinha comer bolo também. De lá pude ouvir papai ainda ao telefone.

Ele cogitava com alguém do outro lado da linha a possibilidade de criar mais porcos, porque ele nunca imaginou que pudesse ganhar tanto dinheiro por um único suíno quanto ganhou com a Margarida. Mas garanto que se ele soubesse o que a venda da Margarida desencadeou daquele dia em diante, ele preferiria não tê-la vendido.

Contos com fotos – Sexo com a ruivinha safada parte 5